A Kora Angola, empresa que concorria com a Imogestin nas gestão das centralidades em Angola, anunciou hoje que terminará a 31 deste mês o processo de comercialização das centralidades Horizonte (no Kuito), Andulo e Kilumoso (Uíje), que estavam a seu cargo.

A Ministra do Ordenamento do Território e Habitação, Ana Paula de Carvalho, confirmou ontem que a imobiliária Imogestin foi afastada das gestão das centralidades, que foram entregues ao Fundo de Fomento Habitacional (FFH).

No comunicado desta quinta-feira, a Kora Angola não refere se foi também afastada das centralidades, mas faz um balanço que não deixa dúvidas.

“Após um longo período marcado pelo início do processo comercial e integração dos novos moradores, a Kora Angola finaliza as actividades comerciais suportadas por um Stand de Vendas, uma Casa Modelo e um Escritório de Apoio ao Cliente nas centralidades Horizonte do Cuíto, Andulo e Kilumoso, a partir do dia 31 de Março de 2019”, diz apenas a Kora-Angola, empresa que opera nas áreas da construção civil e promoção imobiliária.

Em parceria com o Governo angolano, no âmbito do Programa Nacional de Habitação “Meu Sonho, Minha Casa”, a empresa foi responsável pela construção e comercialização de 40.000 fogos habitacionais, distribuídos por seis províncias.

O tom de “despedida” transparece ainda comunicado quando a empresa destaca que este “foi mais um período de aprendizado e troca de experiências entre a Kora Angola e os Governos locais, que sempre estiveram directamente envolvidos no processo em todas às Centralidades”.

A empresa sublinha, no entanto, que, “independente da conclusão das actividades comerciais e desmobilização da equipa comercial das centralidades, a actividade de Assistência Técnica Pós-Venda directamente ligada à garantia dos imóveis continuará a funcionar até à conclusão do período pré-definido para o acompanhamento da garantia da qualidade dos imóveis”.

Banggood WW

Neste sentido, diz que vai assegurar uma linha de atendimento personalizado ao cliente, disponível 24 horas por dia (Call Center – Kora Angola), acciona por uma chamada para o número 923166740.

Na linha de atendimento, refere o comunicado, o cliente será orientado de acordo com a centralidade onde reside e apoiado por um assistente que fará o registo do incidente e reportará à equipa técnica localizada na centralidade.

“No âmbito da assistência à garantia dos imóveis, foram e serão realizados trabalhos referentes a situações relacionadas com defeito de fabrico ou da construção dos imóveis”, reforça.

A empresa ressalva que não realizará trabalhos de desentupimento de esgotos, troca de lâmpadas, reparação de portas, torneiras ou aparelhagens eléctricas deterioradas por mau uso, negligência ou desleixo dos moradores.

A Kora diz ter implementado um “novo conceito” de morar nas centralidades, através de um denominado Proposta Integrada Multissectorial (PIM), financiado pela empresa e do qual eram parceiros o Instituto Jean Piaget de Benguela e o Sindicato Nacional de Professores (SINPROF), destinado a garantir a preservação das infra-estruturas e a integração social.

O PIM foi, entretanto, substituído pela Associação Casa ao Lado, formada por moradores voluntários que incentivam a preservação dos campos de jogos, parques infantis e outros equipamentos sociais instalados nas centralidades.


Gostou deste artigo? Registe-se aqui para receber as novidades da IMOBILI1000 – TUDO SOBRE O IMOBILIÁRIO EM ANGOLA!

You may also like

0 comentários

Comments are closed.